UPA José Rodrigues recebe tanque estacionário com
capacidade para 870m³ de oxigênio

Equipamento substitui cilindros de oxigênio, que serão direcionados aos municípios do interior

 

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), instalou, nesta sexta-feira (01/05), mais um tanque estacionário de oxigênio, desta vez na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) José Rodrigues, na Cidade Nova, zona norte de Manaus. Os tanques, que substituem os cilindros de oxigênio, vem sendo instalados em unidades da rede estadual de saúde para ampliar a autonomia e otimizar os atendimentos nos leitos, reforçando hospitais, UPAs e Serviços de Pronto Atendimento (SPAs) no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

 

O tanque instalado na UPA José Rodrigues tem capacidade para 870m³ de oxigênio. O equipamento substituiu 37 cilindros de 10m³ cada um, que totalizavam 370 m³, ampliando em 500m³ a oferta de oxigênio da unidade.

 

“O tanque vem otimizar a distribuição de oxigênio dentro da unidade, uma vez que estamos com a lotação, é quase todo dia lotado. Eu tenho 18 leitos ocupados, quatro leitos de emergência, isolamento e tinha um cilindro praticamente sendo trocado a cada 40 minutos. Hoje com o tanque, eu consigo dar uma melhor qualidade de trabalho para o meu servidor. Ele ficava 12h praticamente sentado na cadeira. A cada 40 minutos ele ia trocar. Hoje o tanque vem somar, agregar nessa luta de combate ao Covid-19”, avaliou Everton Guimarães, gerente administrativo da UPA.

 

Outras unidades da rede estadual também já receberam o equipamento, como os SPAs Joventina Dias, Coroado e Alvorada. Um tanque estacionário de 42.000 m³ de oxigênio, equivalente a 4.200 cilindros, foi instalado no Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, referência no estado para atendimento de casos graves do novo coronavírus (Covid-19). O tanque é o maior instalado em área hospitalar, em todo o País. Prontos-socorros como o 28 de Agosto, João Lúcio e Platão Araújo já possuíam tanques estacionários.

 

Abastecimento do interior – Além de representar mais praticidade e eficiência nos atendimentos realizados nos leitos, a substituição vai permitir a liberação de cilindros de oxigênio para serem enviados ao interior do estado.

 

“Essa tratativa já vinha sendo feita para que se fizesse o cronograma de instalação desses tanques estacionários nas unidades, liberando esses cilindros para dar o apoio no interior. Estamos direcionando 70 unidades que foram substituídas no SPA Joventina Dias para dar esse atendimento nos municípios. Uma quantidade está sendo levada para o município de Tabatinga”, detalhou Ionaldo Vasconcelos, diretor de Logística da Susam.

 

Ele ressalta que o Governo do Estado também vem trabalhando na aquisição de novos cilindros para serem enviados ao interior. “A gente já está alinhando junto às empresas a retirada de 500 cilindros, dentro de um cronograma com o apoio do Exército. O Comando Militar tem mandado aeronaves para trazer esses cilindros para Manaus, estamos numa tratativa de tentar trazer 200 de imediato, para dar suporte à Tabatinga”, frisou Vasconcelos.

 

Os municípios de Manacapuru, Itacoatiara, Coari, Tefé e Eirunepé também devem receber cilindros de oxigênio nos próximos dias. Na capital, o cronograma prevê a instalação nos SPAs Eliameme Rodrigues Mady e Zona Sul. Atualmente, a rede estadual de saúde conta com 14 mil cilindros aplicados em todo o Amazonas, entre unidades de 10, 7 e 3,5m³.

 

Monitoramento – O diretor de Logística da Susam destaca que o monitoramento dos tanques é feito on-line, assegurando que não falte oxigênio.

 

“Os tanques estacionários são ligados à rede de oxigênio. A empresa terceirizada, que faz a instalação, consegue controlar esse nível de oxigênio através de um aplicativo via web. Da central da empresa, eles monitoram quando esse tanque chega em um nível crítico de oxigênio e já mandam um caminhão para reabastecer. Essa é uma das grandes vantagens”, acrescentou Ionaldo Vasconcelos.

 

 Fotos: Arthur Castro/Secom