Governo do Amazonas já distribuiu mais de 200 mil máscaras à população

Proteção de uso obrigatório ajuda a reduzir o risco de contaminação pelo novo coronavírus

 

O Governo do Amazonas distribuiu, desde o início da pandemia, mais de 200 mil máscaras para a população, por meio de ações realizadas na capital e interior, entre aquisições feitas pelo estado e por meio de parceria com instituições. O uso da proteção é obrigatório no Amazonas desde abril, e foi reforçado no Decreto nº 42.330, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) do dia 28 de maio, que dispõe sobre o cronograma de retomada gradual das atividades econômicas em Manaus.

 

As máscaras foram distribuídas por secretarias como a de Assistência Social (Seas), Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Meio Ambiente (Sema), Infraestrutura e Região Metropolitana (Seinfra) e Produção Rural (Sepror); além de órgãos como Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), Imprensa Oficial do Estado do Amazonas (IOA) e Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM).

 

Entre os beneficiados estão pessoas em situação de vulnerabilidade, comunidades indígenas e ribeirinhas, que receberam máscaras de pano ou descartáveis. As ações humanitárias, realizadas nas ruas e em locais como abrigos e unidades de saúde incluem, ainda, medidas de conscientização e orientação, além da distribuição de itens como álcool gel.

 

Indígenas – A população indígena está entre os públicos que têm recebido atenção do Governo do Estado, por meio da Fundação Estadual do Índio (FEI), que já enviou 90 mil máscaras para comunidades de diversas etnias. O órgão presta apoio às comunidades do Amazonas com o envio de ajuda humanitária para o enfrentamento à pandemia. Além das máscaras que garantem a proteção dos indígenas, itens como álcool e cestas básicas têm sido enviados para as aldeias.

 

Desde o início da pandemia no Amazonas, foram contempladas aldeias de municípios como São Gabriel da Cachoeira, Rio Preto da Eva, Iranduba, Manacapuru, Silves, Autazes, Careiro Castanho, Careiro da Várzea, Manaquiri, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, Atalaia do Norte; além da capital Manaus, que tem, ao todo, 54 comunidades indígenas.

 

Ribeirinhos – Em outra ação, doações viabilizadas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), por meio de parcerias, já beneficiaram mais de 70 comunidades ribeirinhas em Unidades de Conservação do Amazonas, durante a pandemia.

 

Desde maio a Sema trabalha em parceria com prefeituras e organizações do terceiro setor, por meio da “Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento do Coronavírus”. O projeto é coordenado pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), em conjunto com outras 71 instituições públicas e privadas, para levar insumos às Unidades de Conservação do Amazonas durante a pandemia.

 

Ao todo, as colaborações garantiram a entrega de 3,4 mil máscaras de tecido para as comunidades ribeirinhas do estado e milhares de outros insumos para o combate ao novo coronavírus.

 

FOTOS: Divulgação/Sejusc, Sema e FPS; e Chamel Flores/IOA