Aplicativo Sasi esclarece dúvidas, orienta e monitora
população por meio de consultas virtuais

Em 30 dias foram realizados cerca de 31.900 atendimentos por meio da ferramenta

 


Criado com o objetivo de diminuir o fluxo de pacientes nas unidades de saúde e evitar a disseminação do novo coronavírus (Covid-19), o aplicativo Sasi registrou, de 6 de abril (data em que entrou em funcionamento) até esta terça-feira (05/05), 31.900 atendimentos à população. A ferramenta tecnológica, aliada no enfrentamento à pandemia, se destaca por reunir, em um único canal, um conjunto de serviços relacionados ao Covid-19, para esclarecer dúvidas, orientar e monitorar a população.

O aplicativo gratuito, desenvolvido pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), em parceria com a empresa INN Tecnologias, conta com mais de 60 médicos da rede estadual de saúde, que realizam o atendimento de domingo a domingo, divididos em três turnos, sendo 12 médicos por plantão.

“O objetivo do Sasi é atender a população via chat, via WhatsApp e, se for necessário, via videochamada. Então, nosso objetivo é atender a população da melhor forma e evitar que obstruam os hospitais, as unidades de saúde. Tem casos realmente que há necessidade de serem encaminhados, outros não, podem ficar em casa. Queremos atender a população da melhor forma, para que essas pessoas tenham atendimento em casa, tenham acesso a um médico”, detalhou Andreia Félix, servidora da Susam responsável por acompanhar os trabalhos.

Os médicos que atendem por meio do Sasi foram deslocados de unidades de saúde que tiveram atendimento temporariamente suspenso ou reduzido, como Centros de Atenção Integral à Saúde da Criança (CAICs), Centros de Atenção Integral à Melhor Idade (CAIMIs), além de Policlínicas e unidades de Pronto Atendimento Médico (PAMs). São recebidas, por dia, em torno de 516 notificações.

“Esse atendimento inicial é feito da seguinte forma: a gente tenta identificar os casos leves para que a gente consiga dar um suporte a esses pacientes, que sejam orientados a fazerem o tratamento domiciliar, quando possível. E tentamos identificar os casos moderados, que são aqueles em que o paciente não tem condições de se manter em tratamento em casa. Esses, a gente orienta que vão às Unidades Básicas de Saúde ou Prontos-Socorros”, pontuou a médica Camila Mendes.

De acordo com Camila, embora o atendimento seja individual, os profissionais de saúde acabam auxiliando todo o núcleo familiar, por meio da consulta virtual. “Às vezes, a orientação não é só para o paciente, mas para toda a família. Geralmente, a gente acaba atendendo a mãe, o pai, o filho, porque acaba todo mundo na casa sendo afetado e orientamos todos eles”, frisou a médica.

Confiança – A Susam ressalta que um aumento da demanda vem sendo observado, nos últimos dias, o que reflete maior confiança da população no serviço. “A população está confiando e nós temos as divulgações via televisão, pelas redes sociais e a divulgação dos próprios familiares. Estamos vendo que há uma procura, há uma demanda grande e nós estamos trabalhando para atender todos da melhor forma possível e com excelência”, enfatizou Andréia Félix, representante da Susam.

A médica Camila Mendes reforça, ainda, que a classe médica reconhece a importância da consulta presencial, mas considera a ferramenta essencial para a segurança os atendimentos, no período da pandemia.

“A gente precisa se adaptar à realidade e, nesse contexto, a gente tenta fazer o melhor, dar orientação para os pacientes no chat, que é uma forma que a gente conseguiu para ajudar esses pacientes. Pedimos que entrem em contato, porque aqui consegue orientá-los da melhor forma possível, dessa forma eles evitam se contaminar, que é o nosso objetivo, diminuir as filas e as aglomerações e, assim, diminuir a contaminação”, destacou a médica.

Funcionalidade – O aplicativo é gratuito e pode ser baixado direto na loja de aplicativos do celular. Depois de fazer um cadastro com informações básicas como nome, telefone e e-mail, o usuário deve digitar o código “JUNTO” para, a partir daí, poder relatar sintomas por meio do chat com médicos.

Por meio do Sasi também é possível ter acesso ao boletim diário de atualização do número de casos de coronavírus em todo o Amazonas, emitido pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS).

No aplicativo também é possível encontrar notícias e informações a respeito de todas as ações desenvolvidas pelo Governo do Amazonas, dentro do Plano de Contingência Para Infecção Humana pelo Covid-19. Diariamente são atualizadas as medidas adotadas no combate ao coronavírus, além de informações sobre quando e onde procurar atendimento, cuidados básicos de higiene para a prevenção, sintomas e formas de transmissão.

Também estão disponíveis perguntas e respostas para sanar dúvidas frequentes relacionadas, por exemplo, ao uso de máscaras, medicamentos, isolamento social e formas de contágio. Por meio do aplicativo também é possível evitar a propagação de notícias falsas, acessando a aba “Fake News”. As notícias falsas são identificadas por um selo criado pelo Governo do Amazonas para conter a divulgação de inverdades.

FOTOS: SECOM