Aadesam entrega motocicletas ao Projeto Nova Rede
Mulher

A ação contou com a parceria da Sejusc, sendo o projeto voltado ao atendimento a mulheres em situação de vulnerabilidade 

A Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Aadesam) entregou, nesta quarta-feira (10), duas motocicletas para reforço do projeto “Nova Rede Mulher”, realizado em parceria com a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc).

As motos são do modelo YBR 150 Factor, da marca Yamaha, ano 2020. Os veículos de duas rodas estão contemplados no Plano de Trabalho do Projeto, tendo como finalidade suprir as demandas de mobilidade no atendimento às mulheres que, devido à reclusão social, sofreram agressões físicas, psíquicas e moral, principalmente neste momento de pandemia mundial causada pelo novo coronavírus.

O projeto atende mulheres que estão sofrendo algum tipo de agressão em suas residências ou no convívio familiar, prestando auxílio e suporte para o estancamento da violência e mostrando para essas mulheres os caminhos corretos e seguros para se fazer denúncias e relatos de agressões.

“A entrega dessas motocicletas vem complementar o que já estávamos fazendo ao Projeto Rede Mulher. O mesmo tem a finalidade de atender as mulheres em situação de vulnerabilidade ou que sofreram violência doméstica. E nesse contexto, toda infraestrutura, todo processo, serve para a boa condução do projeto Nova Rede Mulher. Então, a parceria entre Aadesam e Sejusc fortalece a luta e a proteção da mulher”, destacou o presidente da Aadesam, Bráulio Lima.

Com tudo isso, o projeto assume um papel de grande importância, na medida em que auxilia as ações de expansão das estruturas de atendimento à rede de enfrentamento à violência contra as mulheres, bem como incentiva a autonomia financeira de mulheres visando à promoção da justiça e da equidade social no âmbito do Amazonas.

“As duas motocicletas vêm para dar esse suporte porque temos unidades descentralizadas e que fazem parte do Nova Rede Mulher. Além de gerar otimização na entrega de documentos, de ofícios e demais publicações relativas às mulheres que estão sofrendo algum tipo de violência”, disse a secretária executiva de Políticas para Mulheres da Sejusc, Ana Barroncas.

Dados –  O projeto já realizou mais de 1.540 acompanhamentos de mulheres em situação de violência e de seus filhos, as quais foram atendidas pelo Centro Estadual de Referência e Apoio à Mulher (Cream).

Foto: Israel Uchôa/Aadesam